13 de ago de 2009

Blá, blá, blá.

Eu tinha que fazer uma redação pro curso de inglês e achei o tema muitíssimo interessante. "Clothes make the man."
Primeiro acharia legal explicar como eu interpretei esse "belo provérbio" americano. Quer dizer que o que você veste diz o que você é, certo? Éééé... depende da situação.
Quando se fala de uma empresa, a Petrobrás, por exemplo, essa frase meio que se aplica, visto que no "fantástico mundo dos negócios" o Presidente NÃO PODE usar a mesma marca que um lambe-selos qualquer. Pura bizarrice. E o pior é que se as pessoas usassem essas roupas caras só porque gostam não seria bizarro. O problema é a merda da ostentação, uma das bandeiras do século XXI. Sinto falta da Franternité, Egualité et Liberté. Vivam o consuminsmo, a ostentação, as aparências e a alienação!!
A mesma coisa acontece quando você sái vai a algum lugar com uma roupa "fora de moda". Você passa a ser alvo de piadas internas por parte dos playboyzinhos e das patricinhas fúteis que não enxergam nada além dos seus celular de 600 reais fabricados por crianças chinesas morimbundas de 9 anos.
NÃO! O que você usa no dia-a-dia NÃO define sua personalidade.
Não adianta nada usar roupas caríssimas por fora se por dentro você é pobre ^^

Beijão, rapeize!!

P.s.:Mais um post pra série "Ana Clara se revolta e critica a sociedade"
P.s.2: E após 3 meses, cá estou de volta! \o/

3 comentários:

Matheus disse...

Clarinha! Eu concordo assino embaixo. Uso casaco da Nike com blusa da C&A, bermuda da líder e michila da Cristal Grafiti. Não é a roupa que faz o homem, é o homem que usa a roupa para fazer-se. Mas lembre-se que a roupa diz muito sobre uma pessoa.

Guilherme Corrêa disse...

Concordo plenamente com a senhorita, clariinha!
e o Teoria vai voltando a ativa, depois de muiiito tempo!

inferninho disse...

finalllmenteee ela volta né.
que nem eu, dps de 1 mêzinho.
ai, querida. Não adianta, acho q o q podemos é viver nossa vida e fazer nossa parte. É claro que gosto de estar bonita e comprar uma roupa q eu realmente gosto - independente do preço, marca, etc. Mas este ñ é o mais importante. Todos deviam respeitar os limites, o exagero ñ só causa consequencias serias para si mesmo como para todos em volta.

é a vida.